Corrupção - Como e por quê o seu dinheiro sai pelo ladrão

Corrupção - Como e por quê o seu dinheiro sai pelo ladrão

Preço
R$ 50,00

Calcule o Frete
Compartilhe:

Autores: Luiz Alfredo Salomão e Fernando Guarnieri

144 páginas

ISBN: 9788578841959

Sinopse:

Quão grande é a corrupção no Brasil? Nunca se roubou tanto? Quem está medindo? Só o governo rouba? O que passa na cabeça de quem corrompe? Essas perguntas encontram respostas no livro Corrupção – Como e por quê o seu dinheiro sai pelo ladrão, de Luiz Alfredo Salomão e Fernando Guarnieri, com ilustrações dos cartunistas Chico Caruso e Renato Aroeira, lançado pela editora Nitpress. Trata-se de um ensaio que visa discutir o fenômeno da corrupção no Brasil apoiando-se em estudos recentes da economia e da ciência política.

Sem quererem fazerem um livro-reportagem baseado na Operação Lava Jato e nem uma obra para acadêmicos, os autores analisam, logo no primeiro capítulo, as práticas corruptas no Congresso e no Executivo, em diferentes espaços da administração pública, seja na concessão de uma licença, ou carta-patente, nas compras governamentais, nas obras públicas etc. Eles mostram que, forma geral, onde a autoridade tem de ser exercida, há margem para práticas corruptas

Entre os assuntos abordados no trabalho estão: as enormes dimensões da corrupção no Brasil, e como isso levou ao desastre financeiro da Petrobras, prejudicando a economia brasileira como um todo e não apenas seus acionistas; as entranhas do processo, desde as licitações direcionadas para favorecer certos concorrentes, contratações baseadas em projetos básicos, ao invés de projetos executivos; o papel dos EPCistas (uma figura relativamente recente na engenharia brasileira) e a mecânica dos reajustes dos valores dos contratos através dos chamados termos aditivos; a corrupção entre empresas do setor privado, que é tão ou mais comum do que entre empresas e do setor público; entre outros.

Os autores mostram que FHC, acusando os governos Lula e Dilma de estarem roubando, e vice-versa, tipifica a situação em que o “roto fala do esfarrapado”. São usados dados objetivos, como os diversos Índices da Transparência Internacional (com as devidas ressalvas metodológicas) para mostrar que não há uma medida objetiva de corrupção, que a corrupção no Brasil atravessa décadas e que, conforme o índice, se roubou mais em um governo ou no outro.

Peso (kg)
0,210